Pages Menu
Categories Menu

Posted in Viagens

Chapadas e Canyons no Brasil – Sem medo do dólar

Chapadas e Canyons no Brasil – Sem medo do dólar

O Brasil é um país riquíssimo, tanto em sua diversidade étnico cultural, quanto por suas belíssimas paisagens naturais. Os canyons e as chapadas no Brasil são objetivos de turismo de pessoas de todas as partes do mundo durante o ano todo. E, para os próprios brasileiros, poder conhecer esses locais “dentro de casa” conta com um ponto positivo a mais; não precisar comprar dólares.

As chapadas no Brasil não ficam concentradas em apenas uma região. Elas estão espalhadas pela Bahia, Goiás, Cuiabá, Piauí, Ceará, provando a exuberância natural dispersa em todo o país. Como chegar às chapadas e canyons? O que comer? São seguras?

Chapada Diamantina – Localiza-se bem no meio do estado da Bahia, e é difícil indicar um município para onde possa ir visitar a chapada; afinal, ela compreende 24 municípios e fica aproximadamente a 400km da capital do Estado – Salvador. Ela está a mais ou menos mil metros de altitude acima do nível do mar e é protegida em toda a sua extensão.

Foto da Chapada Diamantina

Diversas atividades são realizadas na chapada, como mergulho nas cachoeiras e cavernas e trekking. Existem vários pontos que não se pode deixar de visitar. O primeiro, e talvez o mais interessante, é a Cachoeira da Fumaça, uma das maiores cachoeiras do Brasil, com aproximadamente 380 metros de altura!

Outro local a ser visitado é o Poço Encantado, um lago subterrâneo com águas cristalinas que possui uma abertura na parte superior, sendo iluminada pelo sol durante a maior parte do dia.

A Cachoeira do Buracão também merece ser visitado. Com pouco menos de 100 metros de altura e com uma vista incrível.

Ainda podem ser encontrados na chapada diversas trilhas, cavernas, cachoeiras e morros, sendo possível fazer, em cada um deles, diversas atividades.

Como chegar – O acesso não é difícil. Pode-se optar por ir de carro, ônibus ou avião. Vários voos partem de Salvador diariamente para cidades da região. Também é possível chegar dirigindo, ou ainda sair de ônibus de Salvador, sendo que viagem durará cerca de seis horas.

Quanto à segurança local, existem registros de assaltos nas cidades da região da chapada, principalmente por se tratar de um ponto turístico. Atente às atrações com muitas pessoas, e ao mesmo tempo lugares muito vazios, porque por se tratar de um lugar gigantesco, a segurança não é adequada em muitos pontos.

Se bater a fome, você estará rodeado de muitos restaurantes oferecendo o melhor da culinária baiana. O arroz de garimpeiro, feito com alguns tipos de carne, o baião-de-dois e o ensopado de banana verde são deliciosas opções da comida local, e melhor ainda, tudo isso sendo feito nos fogões à lenha.

Na era da internet muitos não conhecem o prazer de provar uma verdadeira comida caseira feita em fogão a lenha. A gastronomia é uma das razões que muitos usam seu tempo livre para viajar isto é realmente uma das melhores razões para estar sempre conhecendo novos lugares.

Chapada dos Guimarães – Não é só a Bahia que detém as paisagens mais belas do país. Localizada no Mato Grosso, a chapada se encontra dentro de um parque criado com o intuito de preservar a fauna e flora locais. O eco turismo na região também é farto. O parque conta com muitas cachoeiras, trilhas e o caminho das águas. Há um circuito especial para as cachoeiras, e uma das principais atrações é o Véu da Noiva (há mais de uma cachoeira com esse nome no Brasil), com pouco menos de 100 metros de altura e uma vista espetacular. Chegar nessa chapada é mais fácil ainda, porque ela se localiza em Cuiabá, a própria capital. Existem voos de todo o Brasil que saem para lá diariamente.

Não há tantos registros de ocorrências na Chapada dos Guimarães. De qualquer maneira, é sempre bom estar bem atento em locais alvos de turismo, ainda mais os que atraem milhares de turistas por ano.

Imagem da Cachoeira Véu de Noiva - Na Chapada dos Guimarães

Cachoeira Véu de Noiva

A maioria dos pratos típicos da região é feita com peixes; Pintado, Pacu e Dourado são os principais ingredientes. Farofa de banana com peixe e arroz também é um prato muito comum por lá. E para o café da tarde, o bolinho de arroz é uma iguaria que não falta no prato dos mato-grossenses. É um bolinho feito de arroz e mandioca e assado com canela, dando um toque doce à iguaria.

Canyons no Brasil – Antes de pensar em ir para os Estados Unidos visitar o Grand Canyon, saiba que no Brasil o maior canyon da América Latina está em Santa Catarina, divisa com o Rio Grande do Sul, localizado no  Parque Nacional de Aparados da Serra. Alguns vales chegam a quase 1 km de altura, com quedas d’água gigantescas e uma mata coberta de araucárias nativas da região.

A formação geológica data de milhões de anos, quando vulcões entraram em erupção e espalharam lava por toda a região. Com o passar dos anos a formação foi rachando na crosta, dando origem aos canyons.

O parque possui vários canyons, sendo que o maior é o de Itaimbezinho. Sua vista é espetacular e abrange grande parte de Santa Catarina, sendo que em alguns pontos é possível também avistar algumas regiões do Rio Grande do Sul. Existe uma diversidade de belas cachoeiras em toda a região, sendo que a maior (e o nome já não é estranho) é o Véu da Noiva, com mais de 700 metros de altura. Infelizmente, a maior parte da fauna e da flora da região está ameaçada de extinção, principalmente a Araucaria angustifólia, espécie nativa da região. O município mais próximo ao parque é Cambará do Sul, extremo norte do Rio Grande do Sul. Chegar ao local não é muito difícil. Voos para Porto Alegre, a capital gaúcha, saem constantemente de várias cidades. Dá pra ir de carro até lá partindo do aeroporto Salgado Filho, e a viagem dura cerca de duas horas e meia. A cidade está localizada a aproximadamente 150 km da capital.

A região é segura e existe segurança dentro do parque. Mas, por ser muito grande, é sempre bom andar em grupos e ficar atento a lugares muito isolados, principalmente quando começar a escurecer.

Quando bater a fome, existem vários restaurantes de culinária gaúcha ao redor do parque. Um dos pratos principais aqui é o arroz de carreteiro, feito com o charque. Um costume local também é preparar os pratos com feijão preto, dificilmente os restaurantes servem feijão branco ou carioca. Uma tradição também é comer batata doce cozida junto com os pratos principais. E, claro, não pode faltar no finzinho da tarde no parque o famoso chimarrão gaúcho. O sabor é um pouco amargo, mas no frio (e o frio no sul é muito severo) é uma ótima pedida para se esquentar um pouco.


Para Saber Mais:

Informações sobre a Chapada Diamantina

Imagens da Chapada Diamantina

Informações sobre a Chapada dos Guimarães

Parque Nacional de Aparados da Serra

Mais no Matéria Escura

Canivete – útil e portatil

Hiking – Básico para iniciantes

Nós para todos os momentos

ME4-icone-50pc

 

Pin It on Pinterest

Shares
Share This