Pages Menu
Categories Menu

Posted in Esportes, Jogos Olímpicos

Ciclismo de Pista – Rio 2016

Ciclismo de Pista – Rio 2016

O ciclismo de pista começou a ser praticado no final do século XIX, tendo seu primeiro campeonato mundial em 1895. Nas Olimpíadas, o ciclismo já faz parte das provas desde o início da era moderna das Olimpíadas, em Atenas, no ano de 1896.
Imagem parcial de um Velodromo
A pista onde são disputadas as provas é o Velódromo, que tem formato oval com retas e curvas inclinadas. A pista possui sinalização das áreas por cores. A faixa mais interna (faixa azul) serve para aquecimento e para o lançamento de corredores. Entre as linhas preta e vermelha abriga o menor percurso do circuito e a ultrapassagem pela esquerda (lado interno) é proíbida.

Nessa modalidade, as pistas podem ser construídas em concreto ou madeira. As provas que estaraão presentes na Olimpíada do Rio em 2016, tanto para mulheres quanto para homens, são:

  • Velocidade – Corrida de 1000m onde apenas os últimos 200m são cronometrados. Desta forma, o final da prova é palco de sprints para chegar à frente dos concorrentes. O primeiro a chegar vence a prova e avança para as fases seguintes.

  • Velocidade por Equipes – O inicio da prova se dá com as equipes em lados opostos do velódromo.
    Na prova masculina as equipes são compostas por 3 atletas e serão dadas 3 voltas no velódromo. A cada volta 1 atleta se retira da corrida, até que na última volta sobre 1 atlata de cada equipe.
    Na prova feminina temos a mesma forma de disputa porém, as equipe são compostas por 2 atletas e as provas são disputadas em 2 voltas.

  • Perseguição por equipes – Assim como na prova de Velocidade por Equipes, o inicio da prova terá as equipes posicionadas uma de cada lado do velódromo. Cada equipe é formada for 4 atletas que devem cumprir 4000m. A equipe que completar a prova em menos tempo vence a prova e avança para as fases seguintes. Na prova final, a equipe que alcançar a equipe adversária conquistará a vitória.

  • Keirin – Esta é uma prova que conta com elemento “extra”, que é uma bicicleta elétrica que vai à frente dos competidores que não podem ultrapassá-la. A prova tem aproximadamente 2Km em seu total e quando faltam 700m para o final da prova a bicicleta elétrica sai da pista e os competidores fazem o sprint final até a chegada. O primeiro a chegar, será o vencedor.

  • Omnium – É composta por 6 provas que exigem o máximo dos competidores tanto em potência quanto em resistência. As disputas são: Contra o relógio, corrida por pontos, Eliminação, perseguição individual, scratch (os corredores começam juntos e, após um certo número de voltas o primeiro é o vencedor) e volta lançada.
    A categoria Omnium pode ser comparada do decatlo ou o heptatlo no atletismo.

Fora das Olimpíadas, as competições internacionais oficiais são organizadas pela Union Cycliste Internationale (UCI), que tem sua sede em Aigle, na Suíça. No Brasil, as competições oficiais são organizadas pela Confederação Brasileira de Ciclismo (CBC).

Considerando as competições internacionais e as Olimpíadas, os países que mais se destacam são a Inglaterra, detentora do maior número de medalhas, seguida pela Austrália e Alemanha.

O Ciclismo de Pista no Brasil

Nas Olimpíadas de Londres, em 2012, tivemos a participação de nove atletas brasileiros no ciclismo de pista, em Londres que, infelizmente, só participaram sem ter levado nenhuma medalha. Nossa equipe é relativamente nova, pois o Brasil tem mais tradição em outras modalidades de ciclismo e a escassez de condições técnicas para praticar o esporte fez com que fiquemos anos luz atrás de outros países.Ciclista em corrida

A formação de atletas de ciclismo de pista exige que se tenham alguns bons velódromos no país, mas o Brasil ainda está fora do ranking mundial de ciclismo de pista exatamente por não investir na construção de velódromos para treinamento dos atletas.

Um dos poucos velódromos existentes, no Rio de Janeiro, foi demolido recentemente, não respeitando a equipe que lá treinava. Em São Paulo, uma pista que foi construída para os Jogos Panamericanos de 1975, está completamente abandonada, funcionando apenas como palco para as festas universitárias. O Cepeusp, onde está localizada a pista de ciclismo de São Paulo, já alertava há mais de 10 anos que só havia duas possibilidades para a pista: a reforma, ou sua deterioração.15-01-cycling-659792_1280

A reforma da pista de ciclismo da Cepeusp não se concretizou, o que, evidentemente, causou sua deterioração. Além da reforma, seria necessário o incentivo a atletas para participar dessa modalidade esportiva, o que também ainda não acontece em nosso país.

Em decorrência da necessidade de abrigar as Olimpíadas 2016 a cidade do Rio de Janeiro esta construindo o mais moderno velódromo da América do Sul. Com isto podemos ter uma guinada positiva nessa modalidade no Brasil ou, como de costume por aqui, o equipamento será abandonado após o evento e se deteriorará com o tempo.Imagem de ciclista preparado para a corrida

Na América do Sul, o Brasil esta atrás de países como a Venezuela, Colômbia, Argentina, entre outros. A título de comparação, no Pan-americano de Toronto em Julho de 2015 o Brasil conquistou duas medalhas de bronze, sendo que a Colômbia conquistou 6 medalhas, entre elas 3 de ouro. Apesar disso tudo ainda devemos comemorar o fato de ter conquistado algumas medalhas de bronze, pois o Brasil vivenciou um jejum de 20 anos sem medalhas no ciclismo.

Atrativos da modalidade

O ciclismo de pista, no entanto, é uma modalidade esportiva das mais emocionantes. Nela, os ciclistas competem correndo numa pista oval, construída em madeira, com 250 metros de extensão, correndo atrás do melhor tempo.

O emocionante dessa modalidade é que os atletas competem com bicicletas sem freio, criando um clima de pura adrenalina.

Mais no Matéria Escura

Judô – Rio 2016

Vela – Rio 2016

Esgrima – Rio 2016

Logo Matéria Escura

Pin It on Pinterest

Shares
Share This