Pages Menu
Categories Menu

Posted in Esportes, Jogos Olímpicos

Esgrima – Rio 2016

Esgrima – Rio 2016

Até descobrirem o poder de destruição maciça da pólvora, a espada era a Lei.Imagem de Estátua da Justiça com uma espada na mão direita

A primeira espada de que se tem notícia pertenceu ao Rei Ur, datada em mais de 5.000 anos e forjada em bronze e já na pré história existem documentos relatando o costume da esgrima como arma de defesa e ataque: no antigo Egito, papiros registram combates de espadas entre oponentes e na Grécia, as espadas forjadas em metal inspiraram Roma no fabrico e manejo das mesmas. Desde bem pequenos, os homens da antiguidade eram iniciados na arte e manipulação das armas (além de conhecimentos sobre a sua fabricação): usadas não apenas para o combate corpo a corpo, mas também para duelos em nome da honra e defesa de apelos judiciais, cujos acordos não foram possíveis de outra forma.

Até então, a esgrima era utilizada como modo de defesa e ataque, mas logo os romanos descobrem seu uso também como diversão em arenas para entreterem seus reis entediados: gladiadores truculentos tinham as melhores espadas para esquartejarem escravos famintos. A idéia de diversão no mundo antigo era algo bem cortante e afiado mesmo.

Apenas na França que o esporte tomou ares de elegância e sofisticação, aperfeiçoando alguns passos e estabelecendo novas regras: junto ao ataque das espadas, surgiram os movimentos das pernas e os floreios elásticos dos braços. Assim, no século VXII, a esgrima tornou-se uma modalidade esportiva com uso racional, dando inicio à uma luta moderna e de muita beleza estética.Atletas praticando esgrima

Considerado como um dos esportes mais antigos do mundo, é disputado nos Jogos Olímpicos desde a primeira competição no ano de 1896. Mas até então, apenas entre homens, sendo liberado o acesso oficial ao esporte para as mulheres somente no ano de 1924, e apenas na categoria florete.

Daner, Lafaugére e Juan Luis, todos de origem francesa, foram os primeiros esgrimistas reconhecidos como mestres e são os responsáveis por definirem as regras do esporte para as disputas olímpicas.Os três delimitaram quais os pontos tocados no corpo do adversário era mais importante que o próprio golpe aplicado.A partir de então, a esgrima tomou regras que permanecem até os dias de hoje.

Com categorias classificadas em florete, sabre e espada, o esporte é dividido em três atos, que são chamados de assaltos, com duração de três minutos cada assalto. Toda arma da esgrima possui sua própria regra, pontuação e sua forma de toque, o que diferencia entre si os formatos das lâminas e comprimentos de cada espada.

A contagem de pontos é conferida a cada vez que um esgrimista toca o peito de seu adversário com a ponta da espada. A roupa, grossa e acolchoada, não serve apenas como proteção: dentro do colete sobre a roupa, existe um ponto eletrônico que é acionado a cada vez que o peito do esgrimista é tocado pela ponta da espada, registrando assim sua pontuação eletronicamente marcada pelos sensores embutidos na roupa.

A primeira regra antes de se iniciar o combate é feita pelo cumprimento entre os adversários, de rosto descoberto, num gesto de reconhecimento e educação: essas regras de cortesias são aplicadas no início e ao final de cada partida, e envolve o adversário, o juiz e a platéia. A partir dos cumprimentos iniciais, o jogo começa com os adversários mantendo a distância de 2 metros um do outro e termina após 5 toques dados no oponente, ou na falta dos toques, depois de 4 minutos. A próxima fase se dá com 15 toques, ou então, de 3 em 3 minutos. O objetivo da luta é totalizar 45 pontos: a equipe que primeiro fechar os pontos é campeã.Atletas praticando esgrima

No Brasil, existem vários centros espalhados entre Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, todos parte da Confederação Brasileira de Esgrima, mas infelizmente, esse é um esporte ao qual pouco valor e quase nenhuma publicidade se dá, e muitos dos principais nomes brasileiros acabam optando treinar em países como Itália, França e Hungria, que são considerados excelências no esporte e que proporcionam condições ideais de treinamento e capacitação dos atletas. Embora não se tenha uma tradição brasileira consolidada dentro da esgrima, alguns dos melhores atletas da modalidade vislumbram uma chance de elencar o nome brasileiro nos Jogos Rio 2016, apostando numa popularização da esgrima no país do futebol.

A prática da esgrima desenvolve inúmeras habilidades como reflexão, aumento da acuidade visual, auditiva e tátil, da concentração e do equilíbrio, resistência e flexibilidade muscular, aumento de auto estima e auto confiança, e todos esses fatores aliados fazem o atleta desenvolver um raciocínio mais rápido que se estende em várias ações diversas do seu dia a dia. Inúmeros profissionais de áreas administrativas escolhem esse esporte pensando no acréscimo de habilidades que irão desenvolver para que os auxiliem também na vida profissional, unindo o prazer da prática esportiva ao melhor desempenho como executivos.

Como se vê, alguns esportes melhoram não apenas o condicionamento físico, mas também, toda a vida do atleta e a esgrima é um deles.

Mais no Matéria Escura

Judô – Rio 2016

Vela – Rio 2016

Ciclismo de Pista – Rio 2016

Logo Matéria Escura

Pin It on Pinterest

Shares
Share This