Pages Menu
Categories Menu

Posted in Entretenimento

Seu vinho preferido e as consequências das mudanças climáticas

Seu vinho preferido e as consequências das mudanças climáticas

Embora se tenha maquinários ultramodernos, capazes de executar qualquer tipo de trabalho, delicado ou brutal, poucas coisas ainda exigem um manuseio humano cuidadoso como quando se trata de cultivo de uvas.Vinhedo na Região da Toscana ao pôr do sol

Por serem delicadas, cuja casca se abre ao mínimo toque, as uvas ainda são cultivadas, tratadas e colhidas de forma manual, exatamente como era há milhares de anos. Para que elas cheguem ao mercado industrial perfeitas, seu transporte não suporta longas distâncias e o armazenamento deve ser feito em condições suaves e de duração curta. Sendo um alimento de muita fragilidade, desde a sua concepção até seu produto final em forma de sucos, vinhos ou alimentos sólidos, a uva tem tido seu sabor alterado em função das mudanças climáticas que o mundo sofre progressivamente.

Como o sabor das uvas depende quase exclusivamente do clima, algumas regiões tradicionalmente conhecidas pelo excelente paladar de seus vinhos, com notas frutadas, como Alemanha e França, sentem o prejuízo na qualidade da produção, que já evidencia agressivas diferenças no sabor. Não é só o aquecimento que provoca alterações na qualidade do vinho. O aumento do frio faz com que as uvas se tornem mais ácidas, perdendo açúcar, pois são menos frutadas , sofrendo alterações de cor e por fim, exigindo acréscimo de fatores não naturais na produção de vinhos, tornando-os mais alcoólicos ,uma vez que a fotossíntese é antecipada entre as frutas pelo descontrole climático, provocando amadurecimento antes da hora e fazendo aumentar os níveis de açúcares,que são Transformados em álcool. Especialistas vinícolas estimam que o teor alcoólico dos vinhos, de qualquer espécie, teve um aumento de até 30% devido ao processo de maturação equivocada.Cachos de Uva na Toscana-Itália

Fenômenos naturais, como geada ou chuvas de granizo, que antes eram ocasionais e tornava possível que se recuperassem as vinhas após um curto período de tempo, hoje afetam não apenas a quantidade da produção, mas também a qualidade das uvas, pois a agressividade e a frequência desses fenômenos impedem a recuperação do solo e das mudas de maneira quase total.

O vinho branco, dentre todas as qualidades, é o que tem um destino mais catastrófico e anunciado, pois a produção de suas uvas depende principalmente de um clima ameno, sem variações drásticas e bruscas, pois não há condições de seu desenvolvimento entre neves rigorosas ou calor demasiado, ou rajadas de ventos e umidade excessiva.

Produtores de vinho, enólogos e os empresários do setor alimentício franceses se uniram e estão empenhados em exigir de seu governo soluções diretas e efetivas no controle do aquecimento global, já que seus vinhos, considerados os mais refinados e elegantes do mundo, podem ter os dias contados no cenário econômico do país.A preocupação com o destino da produção e fabricação dos vinhos vai muito além da instabilidade econômica: toda uma história de sabor,prazer e confraternização que envolve uma garrafa de vinho pode ter seus dias de glória lembrados apenas em livros e filmes.Imagem de rolhas

Do outro lado da Europa, Portugal se ressente do aumento das temperaturas e algumas das possíveis soluções encontradas, como a rega eletrônica constante das vinícolas, não se mostram satisfatórias, pois se o descontrole climático é um fato, o uso indiscriminado da água como rega assídua não se mostra uma solução nem adequada nem possível: é até uma disparidade ante a necessidade urgente de usar a água com sabedoria e economia. No Alentejo, uma das regiões onde acontece a fabricação do vinho do porto, espera-se um aumento entre 2,4 e 2,8 graus Celsius nos próximos 50 anos, condições em que a produção do famoso vinho seria completamente prejudicada, uma vez que sendo doce, seu grau de acidez seria maculado de forma irrecuperável. Além de prejudicar também o sabor e cor dos vinhos, os vinicultores se deparam com uma questão que, num futuro próximo, ameaça destruir com um dos mais louvados termos entre os amantes e conhecedores da bebida: o conceito de vinhas velhas. Esse conceito se dá quando as vinhas possuem mais de 30 anos de produção (algumas chegam a produzir por mais de 50 anos!), cujas cepas são consideradas de melhor qualidade, embora sua produção, ano a ano, seja cada vez menor. Com o aumento de chuvas causando o amadurecimento antes da hora das vinhas e o aquecimento em lugares onde antes eram apropriados climas amenos, as vinhas conhecidas como velhas e que dão mais autoridade e qualidade aos rótulos, se tornaram desqualificadas. Portanto, também o conceito da idade das vinhas está perto de desaparecer.Garrafas de Vinho

Além da influência que o clima provoca na estrutura do sabor e corpo dos vinhos, o tempo de vida de cada garrafa também sofre alterações graves, já que alguns dos tradicionais rótulos não suportam mais que poucos anos de armazenamento em garrafas sem que se notem deformações na qualidade.

Seja qual for o destino da humanidade ante a revolta da natureza, estamos perdendo velozmente um dos melhores prazeres que o homem inventou,

Pin It on Pinterest

Shares
Share This